Imprensa na berlinda

Jon Lee Anderson destrói reportagem de Veja

Jon Lee Anderson destrói reportagem de Veja

1 minuto Faz muito tempo que a revista Veja vem praticando um jornalismo chinfrim, com pseudo-reportagens baseadas mais na opinião dos seus autores do que na investigação rigorosa que uma publicação do porte do semanário brasileiro deveria praticar. A última grande “ratada” da revista da Editora Abril foi a reportagem sobre Che Guevara, produzida pelo editor de internacional Diogo Schelp. A reportagem, publicada na edição de 03 de outubro último, Diogo tenta desfazer o mito Che e demonizar guerrilheiro que ajudou Fidel Castro a vencer Continue lendo

O papel da mídia e os seus reflexos nos adolescentes

2 minutos Os primeiros anos de vigência do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA, Lei 8.069) foram de certo conflito com os veículos de comunicação, que pareciam não entender e tão pouco aceitar as restrições que passaram a ser impostas pela nova lei ao uso das imagens de crianças e adolescentes, inseridos como personagens nas matérias que veiculam. O ECA, em seu Capítulo II, que trata do “Direito à Liberdade, ao Respeito e à Dignidade” da criança e do adolescente, diz que o Continue lendo

Os títulos hilários (?) do jornal Roraima Hoje

menos de 1 minuto Militar faz sexo com dois “jumentinhas” Nem o antigo Notícias Populares chegou a tanto. Leia o texto aqui. ‘Dama da foice’ visita agricultor Leia mais aqui. Há quem goste. Eu, de minha parte, continuo achando que a inteligência e o bom gosto do leitor merecem respeito.

Já não se faz jornalismo como antigamente (principalmente a Veja)

2 minutos A revista Veja desta semana traz uma denúncia contra o senador Romero Jucá (PMDB-RR), segundo a qual ele tem empresas de comunicação registradas em nome de laranjas aqui em Boa Vista (RR). Que isso é verdade, aqui ninguém tem dúvida. Afinal, Boa Vista é uma capital pequena, onde todo mundo conhece todo munto e onde a proximidade com o poder deixa todos a par de tudo o que acontece nos bastidores, principalmente quem é da área do jornalismo político. No entanto, a Continue lendo

Sobre jornalismo online e webjornalismo

4 minutos Com o surgimento da Internet e o seu aperfeiçoamento, a máxima “nós escrevemos, vocês lêem” ficou para trás. Os veículos de comunicação de massa convencionais – os impressos principalmente – estão tendo que se repensar enquanto empresas produtoras de conteúdo, uma vez que o suporte papel está sendo preterido em relação à publicação online. Os leitores jovens já preferem ler os veículos noticiosos da grande rede. A rede mundial de computadores criou um novo conceito de jornalismo (antes existiam o jornalismo impresso, o radiojornalismo e Continue lendo

‘Blogueiros são formiguinhas com megafone’

14 minutos A entrevista desta semana é com o jornalista, professor de inglês e português para estrangeiros e DJ de música eletrônica, Pedro Serra. O blogueiro mantém a página Na Média, na qual escreve sobre Jornalismo, Marketing, Publicidade e afins. Eu descobri o Pedro a partir de um comentário que ele fez na entrevista com a Ana Carmen Foschini, postada aqui no blog, semana passada, e decidi entrevistá-lo, uma vez que ele também se mostra interessado em entender cada vez mais esse fenômeno que Continue lendo

Folha adere ao jornalismo cidadão

2 minutos   O jornalismo cidadão já deixou de ser uma novidade no país e no mundo, mas em Roraima essa prática está dando os seus primeiros passos. Os jornais locais, principalmente o mais tradicional, a Folha de Boa Vista, sempre resistiram à intervenção pública em suas páginas. Por exemplo, enquanto nos jornais de todas as capitais brasilerias a página de opinião há anos reserva um epaço para a manifestação do leitor, através de cartas, somente há cerca de um mês a Folha adotou Continue lendo

Livro prevê fim do jornal impresso

2 minutos A editora Contexto lançou no Brasil a tradução do livro The Vanishing Newspaper, de Philip Meyer, que em português recebeu o título instigante de Os Jornais Podem Desaparecer? Trata-se de uma polêmica obra que prevê a “morte” dos jornais impressos até o ano de 2043 e causou certo furor quando do seu lançamento na Carolina do Norte (EUA). Na obra o autor diz que o modelo atual de jornalismo está com os dias contados e que será preciso repensar toda a forma Continue lendo