Ex-deputado Márcio Junqueira é gravado pela PF ‘ensinando’ como comprar alguém

Tempo de leitura: 1 minuto

Investigado pela Polícia Federal, o ex-deputado federal por Roraima, Márcio Junqueira, foi flagrado numa conversa telefônica gravada pela PF “ensinando” ao seu interlocutor como “comprar” alguém. “Tem que comprar bem comprado”, diz o parlamentar na conversa. A reportagem sobre este caso foi exibida com exclusividade pela Globo News, no Jornal da Dez desta terça-feira (26). Márcio Junqueira está preso desde o dia 24 de abril.

Ao ser questionado pela Polícia Federal sobre a conversa telefônica, Junqueira justificou que estava falando de relações políticas na Assembleia Legislativa de Roraima. O ex-parlamentar roraimense disse que a frase gravada pela polícia não condiz com seu pensamento.

Numa ação controlada da Operação Lava Jato, a PF também gravou um diálogo no qual Márcio Junqueira conversa sobre repasses de valores e orienta uma testemunha ligada ao partido a mudar o teor de um depoimento.

A PF sustenta que Junqueira tentou pressionar o ex-assessor parlamentar do PP José Expedito Rodrigues Almeida. O ex-deputado foi preso em abril depois de ter sido gravado duas vezes pela PF entregando dinheiro a José Expedito. O ex-assessor parlamentar Expedito Rodrigues colaborou com a PF para fazer a gravação.

De acordo com Almeida, Junqueira lhe entregou R$ 5 mil na primeira entrega, em 26 de fevereiro, e R$ 1 mil na segunda, em 28 de fevereiro, com o objetivo de comprar seu silêncio. Em depoimento à PF, o ex-deputado Márcio Junqueira negou que tenha tentado comprar o silêncio de Expedito. Segundo ele, o dinheiro era uma “ajuda pessoal” ao ex-assessor.

A PF e a Procuradoria Geral da República afirmam que a conversa gravada reforça a suspeita de que Junqueira tentou comprar o silêncio do ex-assessor, o que configura o crime de obstrução da justiça.

Com informações da GLOBO NEWS

Comente com o Facebook