Este final de semana eu fui descansar um pouco fora da cidade. Fui reabastecer as energias passando momentos de folga na Fazenda Castanhal, na região da Serra Grande I. Lá, conversei demoradamente com o Sr. Edson, proprietário do empreendimento, sobre a ausência de políticas públicas de incentivo ao turismo em Roraima. Os sucessivos governos, inclusive o de Suely Campos (Progressistas), pouco ou nada fizeram nas últimas décadas em termos de investimento no Turismo. E não foi por falta de projetos.

Seu Edson me contou que, ainda na campanha 2014, quando Suely se elegeu governadora, ele procurou Neudo Campos para tratar sobre um projeto que criaria um corredor de turismo rural e ecológico em Roraima, beneficiando várias fazendas da região da Serra Grande I e II.

Neudo acenou positivamente, mas demonstrou empolgação – como sempre – com um projeto particular, que seria encabeçado por seu filho Guilherme: a construção de um hotel de selva na Serra Grande I. Passou boa parte da conversa com o empresário falando da maravilha que seria o hotel do seu filho.

Enquanto falava sobre o projeto do hotel que seria construído e tocado por Guilherme Campos, Neudo deu pouca atenção ao projeto dos empresários do turismo ecológico e rural já estabelecidos da região. Quando foi alertado para a necessidade de se investir primeiro no sentido de beneficiar os empresários que já estão na ativa há tempos, lutando contra a falta de incentivos, Neudo deu a conversa por encerrada e nunca mais se falou no assunto.

O maior investimento a ser feito era o asfaltamento das estradas da região, algo em torno de R$ 12 milhões. Mas o governo não tem dinheiro para isso. Outras tentativas de diálogo com a governadora Suely foram feitas, mas ela não considerou o assunto importante. Não deu atenção à reivindicação dos empresários.

PS – Está aí uma pauta que os pré-candidatos a governo, a senador e a deputado federal deveriam explorar com seriedade e responsabilidade.

Comente com o Facebook