Jucá, Anchieta e Teresa reeditam parceria de 2014 em busca de conquistar o governo

Tempo de leitura: 2 minutos

A prefeita Teresa Surita e o senador Romero Jucá, ambos do MDB, decidiram reeditar a aliança de 2014 com o ex-governador José de Anchieta (PSDB) para a disputa pelo Governo de Roraima no pleito deste ano. Sendo assim, o tucano passa a ser o pré-candidato do MDB ao Palácio Senador Hélio Campos, tendo Jucá e Chico Rodrigues (DEM), como pré-candidatos a senador. O anúncio foi feito em coletiva de imprensa realizada na manhã desta terça-feira (5), no Boa Vista Eco Hotel.

Durante o anúncio, Jucá disse que agora os partidos envolvidos na aliança vão discutir quem será o candidato a vice-governador na chapa de Anchieta. Um dos nomes cotados é o do deputado federal Abel [Galinha] Mesquita, do DEM. Mas outras alternativas serão avaliadas. Segundo Jucá, o MDB não tem a pretensão de indicar o vice.

Ao manifestar seu apoio a Anchieta, Teresa destacou que é sabedora de que a sua desistência da candidatura ao governo agradou a metade da população de Roraima e desagradou a outra metade. Ela disse, no entanto, ter tomado a melhor decisão, pois quis respeitar o voto dos cerca de 80% da população de Boa Vista que a reelegeu como prefeita.

Teresa disse que pensou muito até tomar a decisão de apoiar Anchieta, mas acredita que tomou o melhor caminho. “Nós precisamos nos orientar, Anchieta. É importante que nós estejamos comprometidos em oferecer o melhor para a população”, disse.

As rusgas que fizeram o grupo composto por Jucá e Anchieta naufragar fragorosamente em 2014 foram lembradas durante o anúncio da reedição da aliança. José de Anchieta disse que divergências são próprias da política.

“[Compomos] um grupo que se une em torno de algo muito maior que a questão partidária. As divergências que já tivemos fazem parte da política. Existem em qualquer lugar do mundo. Nós aprendemos e crescemos com as divergências”, afirmou

Jucá, por sua vez, admitiu que o erro da aliança de 2014 foi tentar acomodar o apoio a dois candidatos a senador, quando havia apenas uma vaga em disputa. “Esse erro não se repetirá este ano porque são dois pré-candidatos para duas vagas”, disse.

O senador e pré-candidato à reeleição disse estar preparado as críticas sobre o fato de o acordo anunciado hoje não representar necessariamente uma novidade para a população cansada dos mesmos políticos de sempre. “O velho mesmo é o governo de Suely”, disse ele.

Comente com o Facebook