Ministro Rossieli anuncia liberação de recursos para Boa Vista e Pacaraima

Tempo de leitura: 2 minutos

O ministro da Educação, Rossieli Soares, anunciou nesta sexta-feira (15), durante sua visita a Boa Vista, a liberação de recursos pelo Governo Federal para serem investidos na melhoria da educação ofertada às crianças venezuelanas que são atendidas pela rede municipal de ensino. Rossieli também anunciou ajuda para o município de Pacaraima, que tem enfrentado uma situação limite em decorrência do grande fluxo de imigrantes que atravessam a fronteira em busca de serviços, como educação e saúde, no município fronteiriço brasileiro.

Rosseli assinou uma resolução liberando recursos que vão subsidiar a compra de contêineres que serão adaptados para funcionar como salas de aula. A ideia é criar novas vagas para atender a cerca de 2 mil crianças venezuelanas e brasileiras que ingressaram recentemente nas escolas municipais.

A prefeita Teresa Surita (MDB) recebeu o ministro e lhe mostrou os abrigos mantidos pela prefeitura da Capital em parceria com o Governo Federal. Ela disse que que o poder central precisa intervir de uma forma mais rápida e efetiva, inclusive no processo de interiorização dos venezuelano, para evitar que Boa Vista entre em colapso. A gestora afirmou que o governo precisa melhorar as condições de abrigo dos imigrantes.

O ministro observou que a capital roraimense “vive uma situação fora da curva”. Ele destacou que em termos percentuais, a imigração na Europa não chega perto do que aconteceu aqui em Roraima. “Não existe nenhum outro lugar do Brasil onde uma prefeitura tenha que lidar com a situação que a Prefeitura de de Boa Vista”, frisou. Segundo Rossieli, o mais importante é que as crianças tenham as condições para estudar. “A escola precisa ser um ambiente que faça a vida dessas crianças voltadas à normalidade”, afirmou.

Segundo o ministro, o município Boa Vista é uma referência em educação em vários aspectos. “Por isso o Ministério da Educação vai ajudar o município a levar essa qualidade na educação também para essas crianças que estão chegando”.

Ao relatar as dificuldades que atravessa para administrar as dificuldades decorrentes da crise migratória, Teresa disse que a Operação Acolhida tirou a cidade de um colapso, mas é preciso outras medidas efetivas por parte do Governo Federal para evitar que Boa Vista volte a mergulhar num colapso ainda pior do que ela estava.

“A prefeitura vai receber recursos para comprar cerca de 50 contêineres para serem transformados em salas de aula para abrigar as crianças venezuelanas. Nossa ideia é criar mais duas mil vagas para crianças brasileiras e venezuelana. A expectativa é que a partir da semana que vem os recursos já esteja disponível”, disse Teresa.

Comente com o Facebook