operacao-tantalo-da-policia-federal

Operações da PF desnudam corrupção que era evidente no governo de Suely

É triste constatar, mas o governo de Suely Campos (Progressistas) estava fadado ao fracasso desde o início. Infelizmente, o eleitor roraimense, em sua maioria, decidiu, na eleição de 2014, colocar de volta ao poder uma família que carregava no currículo a mancha do maior esquema de corrupção já registrado em Roraima: o escândalo dos gafanhotos.

A atual gestão, como eu já disse em outra oportunidade, começou sob a égide do nepotismo. E desde seus primeiros dias se ouvia falar em irregularidades, assim como na possibilidade de esquemas de desvio de recursos de dinheiro público, com a participação de filhos da governadora. O nome de Guilherme Campos, preso na semana passada, na Operação Escuridão, em Brasília, era sempre citado nos bastidores do poder, como um possível operador de alguns dos desvios.

Agora, menos de uma semana depois, e não foi nenhuma surpresa, a Polícia Federal desencadeou mais uma ação, a Operação Tântalo, que tem como objetivo desmontar outro esquema de desvio de recursos públicos. Um conluio de empresários, políticos e servidores públicos tão ou mais cruel que o desbaratado na semana passada, pois que retira de crianças a oportunidade de ter alimento com alguma qualidade na merenda escolar. Isso é de uma crueldade sem tamanho!

Em praticamente todas as escolas estaduais temos crianças e pré-adolescentes que estão tendo as aulas encerradas mais cedo por falta de merenda escolar. Enquanto isso, gatunos se apoderavam dos recursos públicos de forma desavergonhada. Gestores que, inclusive, foram exonerados, para não deixar os estudantes sem alguma proteína, tiram dinheiro do próprio bolso com a finalidade de comprar ossadas para temperar o feijão ou fazer alguma sopa destinada à merenda nas unidades de ensino. É algo vergonhoso!

Mesmo contra todos os prognósticos de sucesso e de honestidade, os votantes, numa espécie de paixão alucinada, atenderam aos apelos de Neudo Campos, líder político local apontado como o cabeça do esquema desvendado pela Operação Praga do Egito, em 2003 – que desviou mais de R$ 200 milhões de reais em recursos públicos – e elegeram Suely Campos para gerir o destino do estado. Não deu outra: mais desvios.

Aquele foi um mega esquema de corrupção que contava, além de Neudo, com a participação de muitos dos deputados estaduais que ainda hoje estão sendo pagos com dinheiro público, como é o caso de Jalser Renier (SD) e Aurelina Medeiros, além de conselheiros do Tribunal de Contas e outros apaniguados que perderam o mandato, mas encontraram guarida na atual administração.

Por mais que nos cause indignação e vergonha, é bom que as investigações da Polícia Federal não parem por aí. Certamente há muito mais maracutaias a serem descobertas, porque as mazelas do atual governo se estendem por todas as áreas da administração, feito um câncer em fase terminal. Espera-se que todos os envolvidos nos esquemas desmontados pela PF paguem por seus atos, com todo o rigor da lei.

Comente com o Facebook

Leave a Reply

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE

Assine nossa Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber as últimas notícias e atualizações feitas por nossa equipe!

Sua inscrição foi feita com sucesso!