PF deflagra ‘Operação Gágulas’ e desmonta esquema de desvio de recursos na Sejuc

Tempo de leitura: 1 minuto

A ‘Operação Gárgulas’, deflagrada na manhã desta quinta-feira (28) pela Polícia Federal em Roraima, desmantelou uma organização investigada por desvio de recursos públicos federais, lavagem de dinheiro e fraude à licitação montada na Secretaria Secretaria de Justiça e Cidadania. Os agentes federais cumpriram 10 mandados de busca e apreensão em Boa Vista e em Manaus. O nome Operação Gárgula faz alusão a figuras monstruosas da Grécia antiga e da Idade Média.

De acordo com nota emitida pela PF, os envolvidos no esquema são servidores públicos e empresários, que foram interrogados e indiciados por crimes cujas penas são de mais de 30 anos de prisão. A polícia não informou o nome dos envolvidos e o caso corre em segredo de justiça na 4ª Vara Judicial da Justiça Federal de Roraima.

A Polícia Federal diz que provas coletadas apontam indícios de atuação de um grupo criminoso do qual fazia parte servidores públicos e empresários, responsáveis por esquema de desvio de recursos públicos da ordem de R$ 3,5 milhões repassados ao sistema prisional de Roraima pelo Fundo Penitenciário Nacional. A denuncia foi oferecida pelo Ministério Público Federal.

As investigações da PF apontaram para a prática deliberada de fraudes à licitação. Os servidores e as empresas envolvidas no esquema combinavam os resultados dos processos licitatórios. O polícia detectou ainda relação de parentesco entre os sócios das empresas participantes, propostas montadas, pagamentos realizados antes da emissão das notas fiscais e superfaturamento em contratos de locação de veículos e venda de produtos e serviços para Sejuc.

Acusado dos crimes de formação de quadrilhas, desvio de recursos públicos federais, lavagem de dinheiro e fraude à licitação, os acusados podem cumprir penas superiores a 30 anos de prisão. A Polícia Federal dá andamento às investigações e o resultado será remetido à Justiça Federal.

Comente com o Facebook