‘Prisão em segunda instância é uma conquista da sociedade e fortalece a democracia’

Tempo de leitura: 2 minutos

Demonstrando disposição para tratar de temas polêmicos que chegam a causar arrepios na espinha da maioria dos políticos brasileiros, inclusive roraimenses, o pré-candidato a deputado federal Wirlande da Luz (PROS) usou seu perfil no Facebook nesta sexta-feira (13) para defender a decisão do STF segundo a qual condenados em 2ª instância devem cumprir a pena de prisão imediatamente.

“Sem a possibilidade de prisão na 2ª instância, condenados com Foro Privilegiado dificilmente serão alcançados para cumprir suas penas”, disse ele. Wirlande entende que o Brasil passa por um momento delicado em que a sociedade quer respostas para os desmandos políticos e a punição de corruptos. Por isso, a possibilidade de prisão em segunda instância deve ser mantida.

Para o médico, que já atuou como secretário de Saúde de Boa Vista em algumas ocasiões, “além de fortalecer o estado de direito”, a prisão após condenação em segunda instância “é hoje uma conquista da sociedade no sentido de mostrar que a aplicação da lei deve ser igual para todos”.

Wirlande citou o movimento de membros do e do Judiciário que protocolaram no STF uma nota técnica e um abaixo-assinado com cerca de 5 mil assinaturas como uma demonstração do clamor da sociedade pela manutenção da decisão do STF.

Ele lembrou também que na contramão desse sentimento da sociedade pela manutenção da prisão em segunda instância, “há uma pressão muito forte de advogados e da própria OAB para que seja revista a decisão firmada pelo STF em 2016”.

Contra o auxílio moradia

Em publicação de alguns dias atrás, Wirlande da Luz criticou a defesa que juízes, procuradores e políticos fazem da manutenção do auxílio moradia, mesmo para aqueles magistrados, integrantes do MPF e políticos que têm casa própria.

Para o pré-candidato, essa casta de brasileiros afortunados “quer todos os benefícios que nenhum outro servidor público neste país tem. A forma como querem resolver suas perdas salariais, os deixam distante da vida real dos demais brasileiros servidores públicos”.

Veja a publicação original de Wirlande da Luz no Facebook:

Comente com o Facebook