Candidatos comparecem à sabatina da UFRR

Sabatina da UFRR com candidatos contribui para esclarecer eleitores

Os candidatos ao governo de Roraima José de Anchieta (PSDB), Telmário Mota (PTB) e Fábio Almeida (PSOL) foram sabatinados por uma junta de professores da Universidade Federal de Roraima (UFRR), no Centro Amazônico de Fronteiras (CAF), na noite desta segunda-feira (1 de setembro), sobre suas propostas de governo para um eventual mandato à frente do estado. A sabatina começou às 19h e cada candidato teve 30 minutos para responder as perguntas.

Os candidatos responderam perguntas sobre temas como saúde, educação, gestão pública, desenvolvimento regional e segurança pública. Antônio Denarium (PSL) e Suely Campos (Progressistas) deixaram de comparecer ao evento político, alegando compromissos prévios de campanha.

Anchieta fala sobre descentralização administrativa

Vaiado sonoramente ao subir ao palco, José de Anchieta se comprometeu em construir um novo presídio para Roraima e disse que vai recuperar a saúde do estado, que ele qualificou como caótica na gestão de Suely Campos. “Na minha gestão tínhamos um estoque regulador de remédios”, disse o tucano.

Questionado pelo professor Guilherme Ramos sobre a reestruturação das escolas públicas, Anchieta disse que viabilizará financiamentos para melhorar a estrutura física das unidades escolares. Ele também afirmou que durante seu governo não faltava para os alunos merenda e transporte escolar e que vai recuperar essas políticas.

O sabatinador Emerson Arantes inquiriu Anchieta sobre quais ações ele pretende esboçar na área da gestão pública. O tucano afirmou que pretende criar um centro administrativo para cortar gastos e centralizar as ações das secretarias num só lugar. Os prédio públicos deteriorados e velhos serão descartados pelo governo.

Ao responder as perguntas da professora Pierlangela Nascimento sobre desenvolvimento regional, o tucano disse que pretende investir no fomento dos pequenos produtores de forma a diversificar a produção do estado.

Ele disse que também pretende trabalhar para a realização de obras como a estrada que leva a Georgetown, na Guyana, para possibilitar o encurtamento do tempo de exportação dos produtos de Roraima para os Estados Unidos e Europa.

Telmário promete combate à corrupção

Antes de José de Anchieta, foi sabatinado o candidato Telmário Mota, que apresentou como principal proposta o combate à corrupção para otimizar os recursos públicos e fazer investimentos em áreas prioritárias, como saúde, educação e segurança pública.

Ao ser questionado pelo professor Guilherme Ramos sobre a militarização das escolas de Roraima como política educacional, Telmário disse que esta “é uma alternativa, mas não é a única solução”. O candidato se comprometeu em oferecer merenda de qualidade, remunerar melhor os professores e a unificar as universidades para melhorar o alcance da educação.

Quando o assunto foi gestão pública, sobre o qual respondeu a perguntas feitas pelo professor Emerson Arantes, Telmário disse ser preciso “cortar na própria carne” e afirmou que vai baixar o salário dos secretários e de governador.

O candidato disse também que vai acabar com a ocupação de cargos comissionados sob indicação de políticos. Segundo ele, serão feitos concursos públicos e oferecidos treinamentos a servidores para ampliar a produtividade.

Fábio defende regionalização da saúde e é aplaudido

O primeiro sabatinado da noite foi o candidato Fábio Almeida (PSOL), o mais aplaudido pelos acadêmicos presentes ao auditório do Centro Amazônico de Fronteiras (CAF).

A principal proposta apresentada pelo foi na área da saúde, quando ele se comprometeu em regionalizar os serviços para atender melhor à população. Fábio disse que um eventual governo seu vai assumir os serviços de atenção básica em todos os municípios. “Acredito que sofremos na saúde com a ausência de financiamento do Governo do Estado para as equipes de Atenção Básica, iremos regionalizar e garantir essa assistência”, afirmou o candidato do PSOL.

Ao responder as perguntas do professor Guilherme Ramos sobre educação, Fábio disse que sua primeira medida será acabar com a indicação de gestores de escolas por político. No seu governo, disse ele, os gestores serão eleitos democraticamente pela comunidade escolar. “Vamos ainda efetivar laboratórios dentro das instituições de ensino para garantir a qualidade do ambiente escolar”, frisou.

O professor Emerson Arantes questionou o candidato do PSOL sobre a otimização dos serviços prestados pelos órgãos públicos. Nesse quesito, Fábio Almeida disse que realizará concurso público para todas as secretarias e acabará com a farra dos cargos comissionados preenchidos mediante indicação de políticos e empresários.

Ao falar sobre desenvolvimento regional, tema abordado nas perguntas da professora de Ciências Sociais, Pierlangela Nascimento, o candidato disse que criará um fundo de amparo à pesquisa para o qual será destinado 1% do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS). “Desenvolvimento humano e social só se consegue com pesquisa”, ressaltou.

Na área da segurança pública, Fábio Almeida respondeu a perguntas feitas pelo professor Luiz Bruno Bragança, do Curso de Direito. Ao ser questionado sobre como pretende combater o aumento da criminalidade e se entende que a imigração contribuiu para o fenômeno, o candidato do PSOL disse que a explosão da violência em Roraima é decorrente da incompetência administrativa.

“A imigração não tem nada a ver com o aumento da violência. “Hoje temos um sistema prisional tomado por facções e um problema sério com a descentralização da gestão e com orçamentos fatiados”, disse.

Foto: Cordcom/IFRR

Comente com o Facebook

Leave a Reply

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE

Assine nossa Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber as últimas notícias e atualizações feitas por nossa equipe!

Sua inscrição foi feita com sucesso!