operação-tantalo-da-PF-em-Roraima

Secretários, servidores e empresários são presos na Operação Tântalo da PF

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (4 de dezembro), junto com o Ministério Público Federal, a Operação Tântalo que tem o objetivo de desarticular organização criminosa envolvida em desvios de recursos públicos destinados à merenda escolar. Os agentes da PF cumpriram hoje 5 mandados de prisão e 7 de busca e apreensão. Entre os presos está o secretário da Fazenda, Shiska Pereira. Também foi presa Maria Gabriela Campello da Silva, chefe da seção de estoque da Secretaria de Estado da Educação.

A operação mira em políticos, empresários e servidores públicos envolvidas no desvio de recursos do Programa Mais Educação, entre os anos de 2016 e 2018. Os mandados de prisão e busca e apreensão foram expedidos pela 4a Vara da Justiça Federal em Roraima, após representação da Autoridade Policial pelas medidas. Foram concedidas, ainda, a quebra do sigilo bancário e fiscal dos envolvidos.

Na Superintendência da PF: viaturas chegam com presos da Operação Tântalo.

Publicado por Luiz Valério em Terça-feira, 4 de dezembro de 2018

De acordo com a PF, o Inquérito Policial foi instaurado em setembro de 2018, e com poucos meses de investigação já foi possível apurar várias irregularidades e desvios que ocorriam no fornecimento de alimentos para a merenda das escolas no estado de Roraima.

O esquema criminoso já estaria em andamento no início de 2016. Os entes públicos envolvidos no esquema atestavam falsamente o recebimento de produtos adquiridos pelo Estado que sequer eram entregues ou eram entregues em quantidade inferior ao contratado. Os empresários substituíam os itens por produtos mais baratos, recebendo a falsa confirmação de recebimento integral destes por servidores integrantes do esquema.

Depoimentos relatam que, no início da fraude, a empresa deixava de entregar por volta de 30% dos produtos faturados, mas nos últimos meses a situação se agravou a ponto de não se entregar produto algum, o que foi constatado, inclusive, in loco pela equipe de investigação.

Somente de março a novembro de 2018 o Estado de Roraima recebeu mais de 5 milhões e 700 mil reais do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE.

Diligências policiais realizadas em várias escolas indicam que há meses não é fornecida proteína alguma para os alunos. Em alguns casos, os policiais constataram que os funcionários das escolas realizavam compras, com recursos próprios, para tentar melhorar a alimentação das crianças, como ossos para incrementar o feijão, o qual foi encontrado vencido em várias escolas.

Agentes públicos e políticos participam do esquema e são alvos das medidas que estão sendo cumpridas.
*Tântalo faz referência ao personagem da mitologia grega que foi castigado a nunca conseguir alcançar água e alimentos, apesar de viver cercado destes em abundância, restando em eterno suplício.

Nova operação da PF desarticula esquema de desvio de recursos da merenda escolar. Falo agora direto da Superintendência da Polícia Federal em Roraima.

Publicado por Luiz Valério em Terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Comente com o Facebook

Leave a Reply

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE

Assine nossa Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber as últimas notícias e atualizações feitas por nossa equipe!

Sua inscrição foi feita com sucesso!